Pulmão HumanoAs doenças pulmonares atingem grande parte da população, seja através de vírus e bactérias, por herança genética ou por atos inadequados para a saúde, como fumar. Podem ser caracterizadas por tosses, dores no peito, falta de ar, dificuldade para respirar, cansaço, entre outros sintomas. Algumas doenças podem ser tratadas e resolvidas por processos mais rápidos, outras possuem tratamentos complexos, podendo comprometer sua saúde e seu bem-estar, e até levar a óbito.

Esteja sempre atento, tome cuidado com sua higiene, com locais fechados ou que tenham fumaça, com o contato muito próximo com as pessoas, com a alimentação, e principalmente, procure parar de fumar! O risco de fumantes adquirirem doenças pulmonares é quase 100%, e o pior, muitos só descobrem anos depois, em um estágio muito avançado da doença.

Saiba um pouco mais sobre o pulmão, a respiração, as doenças pulmonares, como se prevenir, os tipos de tratamento e algumas informações sobre alimentação para os pacientes.

Sistema Respiratório

Os pulmões são órgãos pertencentes ao sistema respiratório, localizados na região interior da cavidade formada pelas costelas. Possuem uma consistência esponjosa, são envolvidos pela pleura (membrana serosa) e tanto o pulmão esquerdo como o direito medem cerca de 25 cm em um adulto. Suas funções são a troca de gases, retirando o oxigênio do ar ambiente e eliminando o gás carbônico.

O ar passa pela traqueia e chega aos brônquios, dois tubos que transportam o ar para o pulmão. Já dentro dos pulmões, os brônquios se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares.

  • Bronquíolos: ajudam a direcionar o ar. São ramificações dos brônquios, formando tubos cada vez mais finos e o seu conjunto forma a árvore brônquica. Todos os bronquíolos terminam em alvéolos.
  • Alvéolos pulmonares: são estruturas saculares (iguais a sacos), cobertos por capilares pulmonares. É onde ocorrem as trocas gasosas (hematose pulmonar), entre o ar que vem de fora e o corpo. Devido à diferença de concentração dos gases (nos alvéolos há mais oxigênio e nos capilares, mais gás carbônico), há uma transição do oxigênio presente nos alvéolos para os capilares e do gás carbônico dos capilares para os alvéolos.

Respiração

A diferença de pressão possibilita o mecanismo de entrada e saída do ar do nosso corpo, ou seja, a respiração. A tendência dos gases é se mover do local de maior pressão, para o local de menor pressão.

⇒ Inspiração: mecanismo de entrada dos gases. O diafragma se contrai e abaixa. Os músculos intercostais, durante a inspiração, afastam as costelas, possibilitando o aumento do volume da caixa torácica, diminuindo a pressão interna.

Expiração: mecanismo de saída dos gases. Ocorre pelo retorno da posição original do diafragma, possibilitando o relaxamento dos músculos intercostais. Portanto, o volume torácico diminui, provocando o aumento da pressão interna e consequentemente, a saída do ar.